Permissionários denunciam autorizações para novas construções dentro do Mercado do Produtor

Caminhões não têm espaço para transitar, nem estacionar para carregar e descarregar mercadorias; Veja o vídeo

Construções mais recentes no setor dos restaurantes


O Mercado do Produtor de Juazeiro, 4º maior entreposto em volume de comercialização de frutas, verduras e legumes, há mais de 15 anos anos não comporta a entrada e saída de caminhões, além de não ter mais espaço para carga e descarga. Em função da necessidade de uma melhor estruturação para o entreposto, permissionários, que não quiseram se identificar, denunciaram, nesta quarta-feira (30), a administração do local. Os denunciantes alegam que estão sendo autorizadas novas construções em áreas destinadas para estacionamento de caminhões que transportam as mercadorias comercializadas.


"É um absurdo, se não tem mais espaço como a administração ainda autoriza construção de novos boxes? Os caminhões 'salada' chegam para comprar, pagam taxa para entrar no espaço e a cada dia ficam sem local para carregar suas mercadorias. Daqui uns dias os comerciantes não vão mais comprar no Ceasa de Juazeiro", relatou o permissionário que pediu anonimato por medo de represálias.


De acordo com este comerciante, a administração passada já havia autorizado algumas construções, inclusive vendendo pontos (boxes) mesmo com a falta de espaço no entreposto.


Trânsito e Estacionamento

Para Fernando Gomes, de Juazeiro do Norte (CE), motorista de caminhão conhecido como 'Salada', que carregam vários tipos de frutas e hortaliças, a situação é crítica. "É desse jeito que você está vendo, caminhões no meio da pista, na frente de outros boxes para carregar e ainda pagamos para entrar e passar por isso", apontou.


Um dos trabalhadores autônomos contratados para realizar carga e descarga (carrego), conhecido pelo apelido de 'Mãozinha', contou que está no Ceasa há mais de 20 anos e não vê melhorias. "Está cada dia pior aqui. O local de estacionamento pra gente trabalhar tem caminhões até vendendo. Os setores estão se misturando. Tudo desorganizado!", pontuou.


Em maio, o Cartaz da Cidade denunciou o carregamento de mercadoria, na entrada principal do Ceasa, na BR 235. Um dos motivos dos caminhões utilizarem o local - inadequado - para a atividade é justamente a sobrecarga no espaço interno do entreposto. Faltando espaço, inclusive, para o trânsito dos carrinhos. A equipe do Cartaz percorreu alguns setores nesta quarta, e constatou que em alguns lugares não há espaço para o trânsito de pessoas.


A equipe do Cartaz procurou a assessoria de comunicação da Agência Municipal de Abastecimento - AMA e até o fechamento da matéria não houve retorno.


Ceasa


Segundo dados do Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), o Mercado do Produtor de Juazeiro é o primeiro do Norte e Nordeste em volume e comercialização e o quarto maior do país nesse segmento. De acordo com informações no site da Prefeitura de Juazeiro, o Mercado tem 1.300 comerciantes, diversos produtores, possui 1.360 boxes e 250 ambulantes. Em média 10 mil pessoas frequentam o entreposto e por dia circulam entre 200 e 250 caminhões no Ceasa.


Veja o Vídeo:




Iana Lima - Jornalista

Imagens: Caíque Lima

Comente e Compartilhe!