top of page

Partidos gastam mais de R$ 72 milhões com campanha dos deputados federais eleitos na Bahia



Os partidos brasileiros receberam cerca de R$ 4,9 bilhões para a realização das campanhas de seus respectivos candidatos. Contudo, não há vaga para todos os postulantes e muito dessa quantia, na verdade, acaba sendo "desperdiçada" em candidatos que não conseguiram se eleger no pleito.


Na Bahia, buscando assegurar uma cadeira na Câmara dos Deputados, as legendas gastaram R$ 72,04 milhões com os futuros parlamentares que conseguiram se eleger na Casa Legislativa. Em média, o gasto por candidato ficou na casa dos R$ 1,84 milhões ao longo das campanhas.


O dono do maior fundo eleitoral no pleito deste ano, com R$ 782,5 milhões, o União Brasil foi o partido que mais investiu nos postulantes eleitos, com um gasto de R$ 16,53 milhões para os seis deputados federais com êxito no pleito. O custo médio da sigla ficou em R$ 2,75 milhões por candidato.


A principal prioridade entre os eleitos do partido ficou empatada entre Dal e José Rocha, recebendo R$ 2,81 milhões cada um. Em levantamento realizado pelo Bahia Notícias em setembro, a legenda já havia sinalizado que iria priorizar a candidatura da dupla, os colocando no topo das doações do União Brasil.


Em relação ao dinheiro "desperdiçado", o partido destinou R$ 26,72 milhões para campanhas que não conseguiram se concretizar em uma vaga na Câmara dos Deputados. Entre os maiores gastos, estão as candidaturas à reeleição de Igor Kannário e Zé Chico, com o envio de R$ 2,81 milhões para cada um.


A legenda enviou recursos do fundo eleitoral, ao todo, para 30 candidatos à Câmara dos deputados, somando um custo de R$ 43,25 milhões. O valor médio por candidatura ficou em R$ 1,44 milhões.


Atrás do União Brasil - e dono do segundo maior fundo eleitoral deste ano (R$ 500 milhões) -, o PT foi o segundo partido que mais investiu nos candidatos à Câmara que conseguiram se eleger no pleito. Ao todo, os petistas destinaram R$ 12,44 milhões para os sete parlamentares eleitos, tendo um custo médio de R$ 1,77 milhões por postulante.


A prioridade do PT ficou pela reeleição de Valmir Assunção, com a destinação de R$ 2,01 milhões para a campanha do deputado. No levantamento do BN a legenda já havia sinalizado uma preferência pela candidatura do parlamentar.


Sobre os recursos utilizados pelo partido em campanhas que não se concretizaram em eleição, o PT enviou R$ 10,95 milhões aos postulantes que ficaram pelo caminho na corrida pela vaga na Câmara. Josias Gomes foi o candidato que mais recebeu fundo eleitoral, entre os não eleitos, com R$ 1,8 milhões. Ele tentava a reeleição.


Entre todos os postulantes à Casa Legislativa, o PT destinou R$ 23,39 milhões. O partido enviou recursos do fundo eleitoral para 25 candidatos, ficando com um gasto médio de R$ 668 mil.


Confira quanto cada deputado federal eleito recebeu:


Avante:

Pastor Sargento Isidório - R$ 1.750.000,00;


PSD:

Otto Alencar Filho - R$ 1.650.000,00

Antônio Brito - R$ 2.000.000,00

Diego Coronel - R$ 1.700.000,00

Gabriel Nunes - R$ 2.000.000,00

Sérgio Brito - R$ 2.000.000,00

Paulo Magalhães - R$ 1.900.000,00


Progressistas:

Carletto Neto - R$ 2.050.000,00

Claudio Cajado - R$ 2.250.000,00

Mário Negromonte Júnior - R$ 2.250.000,00

João Leão - R$ 2.000.000,00


Republicanos:

Márcio Marinho - R$ 650.000,00

Alex Santana - R$ 1.500.000,00

Rogéria Santos - R$ 864.000,00


União Brasil:

Elmar Nascimento - R$ 2.511.764,70

Paulo Azi - R$ 2.799.764,70

Arthur Maia - R$ 2.799.764,70

Dal - R$ 2.811.764,70

Leur Lomanto Jr - R$ 2.800.000,00

José Rocha - R$ 2.811.764,70


PL:

Roberta Roma - R$ 1.156.950,46

Capitão Alden - R$ 800.000,00

Jonga Bacelar - R$ 500.000,00


PSB:

Lídice da Mata - R$ 3.000.000,00


Podemos:

Raimundo Costa - R$ R$ 1.000.000,00


MDB:

Ricardo Maia - R$ 209.590,97


PDT:

Léo Prates - R$ 1.000.000,00

Félix Mendonça Júnior - R$ 600.000,00


PSDB:

Adolfo Viana - R$ 2.200.000,00


PT:

Zé Neto - R$ 1.708.234,65

Jorge Solla - R$ 1.800.000,00

Daniel Almeida - R$ 2.856.685,71

Waldenor Pereira - R$ 1.810.299,00

Afonso Florence - R$ 1.800.000,00

Ivoneide Caetano - R$ 1.500.000,00

Joseildo Ramos - R$ 1.810.299,00

Valmir Assunção - R$ 2.013.327,01


PCdoB:

Daniel Almeida - R$ 2.856.685,71

Alice Portugal - R$ 3.064.725,27


PV:

João Carlos Bacelar - R$ 2.113.867,50.


Com informações do Bahia Notícias.

bottom of page