Maia entrega PEC da Previdência a Alcolumbre.


Alcolumbre, que já havia estipulado o prazo de análise da reforma no Senado em 45 a 60 dias, disse que não há "correria" com o tema, como criticam alguns opositores da proposta.


"Como há correria se o Senado Federal criou uma comissão especial que acompanha essa matéria há 90 dias? Há 90 dias, os líderes de todos os partidos participam dessa comissão especial", afirmou o presidente do Senado.


Ele também disse que não há orientação para os senadores favoráveis à reforma não apresentarem sugestões de alterações. Se o texto for mudado, voltará para a Câmara, o que atrasará a aprovação final da reforma.

Primeiro que não pode ter um acordo dessa natureza porque cada senador tem a liberdade de fazer a mudança que achar conveniente. E todas essas alterações serão discutidas com o relator da matéria, a gente conhece o perfil conciliador do senador Tasso Jereissati”, disse Alcolumbre.


E eu não tenho dúvida que será construído um texto que vai contemplar os anseios da maioria, e a maioria tem consciência da importância dessa matéria”, completou.




Fonte: G1