Denúncia: Caminhões descarregam mercadorias fora do Ceasa de Juazeiro e causam transtornos



A movimentação inicia durante a madrugada quando caminhões de várias partes do país chegam para descarregar frutas, verduras e legumes para a comercialização e distribuição. Porém uma parcela dessa frota não entra no Mercado do Produtor de Juazeiro e realiza a descarga nas ruas adjacentes ao entreposto. O local de entrada do Ceasa que fica localizado numa parte da BR 235 fica intransitável para carros de passeio inclusive o acesso de alguns moradores do bairro Tancredo Neves às suas casas pois as ruas ficam bloqueadas.


"Isso é frequente aqui. Começa de madrugada e permanece o dia todo são caminhões, carrinhos, não conseguimos acessar o bairro por essas ruas e algumas ruas ainda são feitas de estacionamento ou local de comércio", apontou um morador que preferiu o anonimato. Outro morador que também não quis se identificar falou da sujeira, "Morei aqui minha vida toda e digo que Juazeiro não tem jeito. Aqui do lado as rotatórias sendo ajeitadas e pra que? Olha essa sujeira e desorganização que fica aqui na frente desse Ceasa", questionou.


A equipe do Cartaz da Cidade foi até o Mercado do Produtor na manhã dessa terça-feira (25) e constatou mais de 30 caminhões, caminhonetes e até carretas na pista dupla onde fica a entrada do entreposto descarregando e carregando mercadoria, atividade que deveria ser realizada dentro do equipamento comercial.



O Cartaz contatou a Prefeitura de Juazeiro e foi informado por meio Companhia de Segurança Trânsito e Transporte (CSTT) que a área onde alguns caminhões estão operando compreende a BR 235 e a fiscalização é de responsabilidade da Policia Rodoviária Federal - PRF, órgãos responsável pelo trânsito federal.

Sobre as ruas adjacentes dos bairros Tancredo Neves e Itaberaba que estão também servindo para a carga e descarga de produtos, a Agência Municipal de Abastecimento (AMA) órgão responsável pela manutenção e administração do Mercado do Produtor informou que "Já as ruas próximas ao bairro, citado pelos moradores, a CSTT encaminhará uma equipe ao local para avaliar a situação".


Permissionários


O Cartaz conversou com alguns permissionários sobre o motivo de alguns caminhões não descarregarem dentro do entreposto e segundo dois permissionários seriam as taxas de entrada no Mercado que são aplicadas pela administração. "Cobram caro 'pros' caminhões entrarem e quem paga é a gente, o dono da carga. Já teve caso de eu pagar na entrada do caminhão e depois um segurança veio atrás de mais pagamento", acusou um comerciante de fruta que também pediu anonimato.


Sobre o valor das taxas para entrada de qualquer veículo no Mercado do produtor, a AMA informou que "Quanto ao valor que é cobrado, ele varia de R$ 15,00 a R$ 70,00 reais. Uma Carreta R$ 70,00; Um Caminhão truck R$ 30,00.; Um Caminhão menor R$ 15,00; Um Caminhonete R$ 10,00; e uma pampa R$ 5,00. Valores cobrados há muitos anos".


Ceasa


O Mercado do Produtor de Juazeiro, segundo dados do Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) é o primeiro do Norte e Nordeste em volume e comercialização e o quarto maior do país nesse segmento. Canal de escoamento da produção agrícola local, o Mercado tem 1.300 comerciantes, possui 1.360 boxes e 250 ambulantes. Em média 10 mil pessoas frequentam o entreposto e por dia circulam entre 200 e 250 caminhões no Ceasa.


Iana Lima - Jornalista

Produção e Imagens: Caíque Lima

Comente e Compartilhe!