Consultor que atuou no apagão de 2001 prevê racionamento de energia em 2022


Adilson de Oliveira, professor da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), participou da reforma do setor elétrico como consultor do Ministério de Minas e Energia no segundo mandato do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso. Em 2001, a Câmara de Gestão da Crise de Energia Elétrica foi criada para enfrentar os problemas de apagões e geração.

À época, o Brasil sofria com blecautes e para o professor, o momento atual é crítico e exige atitudes mais rígidas. Em entrevista ao Metrópoles, o especialista criticou a privatização da Eletrobas e apontou erros da gestão Bolsonaro na condução das políticas públicas.

“Um apagão generalizado acho que o governo tentará evitar, mas medidas restritivas, como racionamento, acho que é possível”, afirma.

"O governo deveria ter agido em 2019. Provavelmente, podemos não ter racionamento neste ano, mas teremos no próximo. É uma questão de tempo”, completa Oliveira.

O especialista defende reforma no setor de energia e critica a privatização da Eletrobras. "No momento que vivemos a pior crise você quer privatizar os principais reservatórios", disse.


Comente e Compartilhe!