Chega ao Brasil o coração de Dom Pedro em comemoração aos 200 anos de independência


Chegou ao Brasil nesta segunda-feira (22) o coração de Dom Pedro I para as comemorações de 200 anos da Independência do Brasil. O órgão está conservado em formol há 187 anos e veio transportado pela Força Aérea Brasileira (FAB), a relíquia veio da cidade do Porto, em Portugal, e aterrissou na base aérea de Brasília em uma aeronave VC-99, do Grupo de Transporte Especial (GTE) da Força Aérea Brasileira (FAB).


Amanhã (23) haverá uma cerimônia no Palácio do Planalto, com a presença do presidente Jair Bolsonaro (PL). Segundo o Ministério das Relações Exteriores, a partir da data, o órgão fica exposto "dentro de um vidro" , no Palácio do Itamaraty, até 5 de setembro.


O órgão veio em cabine de passageiros, junto com três autoridades portuguesas e um representante do governo brasileiro. Na base aérea, foi recebido com honrarias, por autoridades como o embaixador de Portugal no Brasil, Luiz Felipe Melo, e os ministros Paulo Sérgio Nogueira, da Defesa, e Marcelo Queiroga, da Saúde.




Por volta das 10h30, o coração foi levado ao Palácio do Itamaraty, em operação "silenciosa". Já o retorno a Portugal está marcado para 8 de setembro. A Polícia Federal e as Forças Armadas devem fazer a segurança da relíquia neste período.


Esta não é a primeira vez que restos mortais de Dom Pedro I são apresentados nas comemorações da Independência do Brasil. Em 1972, durante a ditadura militar, parte da ossada do imperador foi exposta em várias cidades brasileiras.


Dom Pedro I foi o primeiro chefe político do Brasil e responsável por declarar a independência do Brasil. Os restos mortais dele estão sepultados na cripta imperial, no Parque da Independência, em São Paulo. Já o coração é mantido na capela-mor da igreja de Nossa Senhora da Lapa, em Porto, Portugal.



Da Redação com informações do G1