Cantor Léo Santana crítica decreto do governo da Bahia que reduz o público em eventos



O cantor Léo Santana utilizou sua rede social para criticar o novo decreto estabelecido pelo governo da Bahia, que determina a redução da capacidade máxima de público em estádios e shows, de 5 mil para 3 mil pessoas. Segundo o cantor, "os governos precisam reforçar a exigência do cartão de vacinação nos lugares", e que o setor da "cultura e eventos não deveriam pagar uma conta altíssima que se arrasta por anos". O decreto foi anunciado, ontem (10), pelo governador Rui Costa (PT), na tentativa de frear o avanço do número de casos de coronavírus e H3N2 em todo o Estado.


Algumas empresas que estavam realizando eventos e planejando “Carnaval Indoor” tiveram que anunciar o cancelamento das festas. Foi o caso da empresa que organiza o “Baile da Santinha” - tradicional festa da Bahia, que é comandada por Léo Santana. Em nota, a empresa cancelou os dois próximos eventos, que aconteceriam no dia 14 e 21 de janeiro, e anunciou um “novo evento” com a capacidade para 3 mil pessoas. Com o nome de "Ensaios de Verão - Léo Santana", a festa vai contar com João Gomes e Tayrone, e terá ingressos a R$ 150, na pista e R$ 250 o lounge.


Na última sexta-feira (7), Léo Santana participou do Baile da Santinha, que contou com apresentações de Luísa Sonza, Dennis Dj e Os Barões da Pisadinha. O evento aconteceu no parque de exposição de Salvador. Segundo as redes sociais da empresa que realizou o evento, só poderiam entrar quem estivesse com as duas doses da vacina contra covid-19 completas.






Confira o que escreveu o artista em sua rede social:


"Os governos precisam reforçar a exigência do cartão de vacinação nos lugares de maneira firme. Precisa haver um pacto entre todos nós sobre isso. Restaurantes, shoppings, bares, todos os lugares de circulação pública. Não quis vacinar, fica em casa. O que não dá é pra cancelar toda a cultura e eventos e um setor pagar uma conta altíssima que se arrasta por anos. Bora organizar isso aí gente"