Caminhoneiros reagem à alta do diesel e da gasolina anunciada pela Petrobras: “O Brasil vai parar"


Foto: Agência Brasil

Líder da greve dos caminhoneiros que parou o Brasil em 2018, Wallace Landim, o Chorão, criticou duramente o aumento de 24,9% anunciado ontem (10) pela Petrobras, que passou a valer nesta sexta-feira, (11 ), no preço do diesel, e afirma que não há mais condições de trabalho para a categoria.


Aumento na gasolina, diesel e gás de cozinha começa a valer hoje


Chorão se mostra surpreso com o tamanho do aumento anunciado pela estatal. A guerra entre Rússia e Ucrânia, que já dura 15 dias, desestabilizou o mercado de petróleo e levou a Petrobras a reajustar o preço dos combustíveis em um nível que não se via há muitos anos.


“É uma situação que prejudica não só os caminhoneiros, como também toda a população. Tudo que chega nas prateleiras dos mercados vai por caminhão”, disse.

“A Petrobras, neste momento, precisa dar lucro? Qual é o papel da Petrobras? É uma empresa estratégica, mas estamos vendo uma Petrobras atendendo o mercado, os acionistas.”

Diretor-presidente do Conselho Nacional dos Transportadores Rodoviários de Cargas (CNTRC), Plínio Nestor Dias critica o Preço de Paridade de Importação (PPI) da estatal.


“A gente sabia que isso [alta do diesel] ia estourar. A revolta, a indignação, a insatisfação dos caminhoneiros está muito grande a nível nacional. Nós temos agora que ficar do lado da categoria. Se tiver que parar o país, podem contar com a gente, porque faz parte da nossa pauta”, assegura.