Bolsonaro vai a Bahia nesta sexta para participar de evento em celebração ao 22 de abril


Em Porto Seguro (BA) presidente diz que perdão a Silveira foi para 'garantia da nossa liberdade.


Um dia depois de perdoar por decreto o deputado federal Daniel Silveira (PTB-RJ), condenado pelo STF (Supremo Tribunal Federal) a 8 anos e 9 meses de prisão, o presidente Jair Bolsonaro (PL) afirmou nesta sexta-feira (22), em evento em Porto Seguro, na Bahia, que o indulto concedido serviu para "garantia da nossa liberdade".


Bolsonaro chegou no avião presidencial por volta das 14h. Do Aeroporto Internacional ele foi direto para a Cidade Histórica, onde participou da "Homenagem aos 522 anos de chegada dos portugueses ao Brasil". Depois de canções, oração, leitura da Bíblia e discursos de aliados, Bolsonaro foi chamado à tribuna aos gritos de "mito, mito, mito".


Sob aplausos e gritos de "liberdade", Bolsonaro falou sobre o indulto a Daniel Silveira, embora tenha evitado citar o nome do aliado. De acordo com o presidente, sua decisão serviu para "dar um rumo ao Brasil."




"Tem certas coisas que só se dá valor depois que se perde", disse. "Ontem foi um dia importante pro nosso pais. Não pela pessoa que estava em jogo. Mas o simbolismo de que nós temos, mais que o direito", afirmou Bolsonaro.


Polêmico, o indulto é contestado pela oposição, que hoje fez uma ofensiva jurídica para derrubar o decreto. Somente no STF, quatro ações diferentes foram protocoladas: da Rede Sustentabilidade, do PDT, do Cidadania e uma reclamação do senador Renan Calheiros (MDB).


Acompanhado de apoiadores, o presidente participou também de um passeio de motos. Ele também acompanhou apresentação da Esquadrilha da Fumaça em comemoração aos 522 anos da chegada dos portugueses ao Brasil.


Redação Cartaz da Cidade (s)