Bahia: Segundo dia de paralisação dos professores na luta em defesa dos precatórios do FUNDEF


Desde a última segunda-feira (12) os professores do estado da Bahia realizam manifestação em frente a Assembléia Legislativa da Bahia (ALBA), a luta contou com a adesão de mitos trabalhadores em educação, inclusive com caravanas do interior do estado.


Segundo a Associação de Professores Licenciados do Brasil (Aplb) na Bahia, cerca de 80% das escolas estaduais aderiram à paralisação. A Secretaria Estadual de Educação não informou quantas escolas estão com as portas fechadas durante os dois dias


Enquanto os trabalhadores se manifestavam na frente da Assembleia Legislativa, a direção da APLB foi ao encontro de deputados (as), da assessoria jurídica, inclusive da própria APLB, analisando que não há impedimentos para o pagamento dos recursos destinados à educação, com juros e sem descontos.



A coordenadora em exercício da APLB, Marilene Betros, espera que o governo do estado cumpra o que foi acordado. “É preciso que o pagamento seja realizado com juros e sem descontos! Não há nenhuma questão ilegal que impeça o pagamento com juros. Por isso, temos que nos mobilizar para acompanhar a votação do PL que regulamenta o pagamento dos precatórios”, ressalta Marilene.


Apesar de o dinheiro dos precatórios já ter sido disponibilizado pelo Tribunal de Contas da União (TCU) para a transferência ao estado da Bahia no último dia 18, a Alba precisa votar o Projeto de Lei 24.631/2022 que regulamenta o pagamento. O estado encaminhou o projeto à Assembleia no dia 6 deste mês. Há expectativa de que a sessão de votação do PL ocorra na terça (13) ou quarta-feira (14), mas ainda não há data oficial.



Da Redação com informações da APLB.