Bahia: os animais conhecidos como jumento ou jegue, correm risco de entrar em extinção



As cidades de Amargosa, Simões Filho e Itapetinga no estado da Bahia, fazem abates de jumentos para exportação para China, onde são utilizados como matéria prima para fabricação de um remédio. Somente o frigorífico em Amargosa abate mais de 4 mil animais ao mês e atinge o número de mais de 57 mil ao ano.


O perigo da espécie entrar em extinção é que o abate aumenta a cada ano, mas a renovação dos animais não segue o mesmo ritmo. Conforme o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), em 2013 eram 900 mil jumentos, sendo a maior concentração na região Nordeste. Atualmente o Ministério da Agricultura Pecuária e Abastecimento, contabilizou somente 400 mil.


Os frigoríficos abatem os animais com um tiro de ar comprimido entre os olhos, depois é retirada as peles e exportadas para a China e a carne para o Vietnã. O comércio com o couro do jumento na China pode chegar a mais de R$ 22 mil, porém aqui no país o valor do animal é de R$ 20,00.



Redação Cartaz da Cidade

Fonte BBC News

Comente e Compartilhe