Artistas locais ocupam ruas e pedem saída do presidente Jair Bolsonaro



Artistas locais, representantes dos Movimentos Sociais, partidos de oposição ao Governo Federal, sindicatos, entidades estudantis, coletivos e Ongs, ocuparam as ruas e avenidas de Juazeiro, no sertão baiano, no último sábado (02), pedindo a saída do atual presidente do Brasil, Jair Messias Bolsonaro. Outras reivindicações também foram levantadas no ato, como a postura do presidente na pandemia, o avanço na vacinação da Covid-19, o aumento nos preços dos combustíveis e cestas básicas, além do retorno do auxílio emergencial no valor de R$600.


Em entrevista ao Cartaz da Cidade, o sociólogo e cientista político, Gilberto Santana, explica que o país vem sofrendo uma guerra híbrida, onde existe a desvalorização das conquistas do povo e de sua pátria, segundo ele, a partir do golpe contra a ex-presidente Dilma Rousseff, em 2016, o Brasil vem passando por diversos problemas políticos, econômicos e sociais.

"O atual governo apresenta uma conduta autoritária que desmonta o Estado democrático de direito. Desregular a democracia, é destruir aquilo que ela garante. As pautas que pedem o fechamento do Supremo Tribunal Federal (STF), Poder Legislativo e reedição do Ato Institucional N-5, incentivam o retorno da ditatura, uma fase tensa e delicada na história do país", relata Gilberto.


A manifestação seguiu até a Ponte Presidente Dutra, onde o grupo se reuniu com outros participantes do movimento em Petrolina, no sertão pernambucano. O ato, foi organizado por partidos como o PT, PCdoB, PSB, PSOL, PDT, REDE, PV, PCO e PCB – em conjunto com centrais sindicais e movimentos populares. A mobilização também foi realizada em outras cidades do país.


Fernando Alves - Jornalista

Comente e Compartilhe!