Após ser preso em flagrante por estupro, anestesista ultrapassa 25 mil seguidores no Instagram


Internautas se revoltam e questionam os valores da sociedade atual ‘está tudo invertido’, disse um cidadão


O médico anestesista Giovanni Quintella Bezerra foi preso nesta segunda-feira (11), acusado de estupro. O profissional de saúde foi filmado por funcionários do Hospital da Mulher de São João de Meriti – RJ ao cometer crime.


Segundo investigadores, Giovanni Quintella Bezerra, 32 anos, abusou de uma paciente enquanto ela estava dopada e fazia uma cesariana no Hospital do município na Baixada Fluminense.


Ao ser divulgada a sua identidade, o médico ganhou mais de 20 mil seguidores na rede social Instagram o que causou polêmica e muita discussão entre os internautas que questionam o tipo de cidadão que segue e apoia um acusado de um crime.


L.A.S., 24 anos, blogger, ativo nas redes sociais afirmou que a sociedade está ‘podre’. O jovem não quis se identificar, porém mostrou toda a sua indignação. “Estou com nojo! Como pode um ser humano que comete uma violência dessas ainda tem fãs?”, questionou e completou. “As pessoas que apoiam um monstro desse, é tão criminosa quanto ele”, concluiu.


L. ainda citou o caso de Givaldo Alves, que passou de pessoa em situação de rua em Planaltina, Distrito Federal, a influenciador digital, com mais de 470 mil seguidores no Instagram quando tirou proveito de um vídeo divulgado nas redes sociais onde manteve relações sexuais com uma mulher diagnosticada com surto psicótico. Aproveitando-se da situação de total consciência da mulher.


Os internautas ainda comparam o tratamento dispensado ao médico que foi informado da acusação, das imagens que foram gravadas e depois conduzido ‘calmamente’ para a delegacia com o caso de Genivaldo dos Santos, em Sergipe, no mês passado que foi asfixiado dentro de uma viatura da Polícia Rodoviária Federal – PRF. O popular sofria transtornos mentais e mesmo sendo avisados por parentes no local, os policiais detonaram bombas de gás no porta malas da viatura matando Genivaldo.


O caso


Funcionários do hospital filmaram o anestesista colocando seu órgão sexual na boca de uma paciente quando participava do parto dela. O médico demonstrou surpresa ao receber voz de prisão e ao tomar conhecimento de que tinha sido gravado abusando da paciente. Confira o vídeo abaixo:



O anestesista foi indiciado por estupro de vulnerável, cuja pena varia de 8 a 15 anos de reclusão. A polícia tenta descobrir outras possíveis vítimas do anestesista.


O Conselho Regional de Medicina do Estado do Rio de Janeiro (Cremerj) abriu um processo para investigar o caso e tomar medidas administrativas. Já a direção do hospital informou que abriu uma sindicância interna e notificou o Cremerj.


Equipe desconfiou e filmou


A equipe vinha desconfiando do comportamento do anestesista e estranhava, por exemplo, a quantidade de sedativo aplicado nas grávidas. Funcionárias do hospital trocaram a sala de parto para conseguir filmar o flagrante.


No domingo (10), o médico já tinha participado de outras duas cirurgias em salas onde a gravação escondida era inviável. Na terceira operação do dia, a equipe conseguiu, de última hora, trocar a sala, esconder o telefone e confirmar o flagrante.


O médico que participou da cesariana, no momento em que o crime foi cometido, será chamado para prestar depoimento, de acordo com a Polícia Civil.


A defesa do anestesista disse que aguarda acesso à íntegra dos depoimentos para se manifestar.


Da Redação

Com informações do G1.