top of page

Após invasão à Praça dos três poderes, Distrito Federal amanhece com rastros de destruição


A ação está sendo considerada ataque direto às instituições democráticas


O Distrito Federal amanheceu nesta segunda-feira, 9, com rastros de destruição após o Congresso Nacional, Supremo Tribunal Federal e Palácio do Planalto terem sido invadidos e depredados no último domingo, 8, por manifestantes que se opõem à eleição do presidente democraticamente eleito Luiz Inácio Lula da Silva (PT).


A ação do grupo que usava verde e amarelo e a bandeira do Brasil está sendo considerada um ataque direto aos três poderes. Vidraças foram quebradas, patrimônio público depredado, obras de artes saqueadas. O prejuízo começará a ser calculado nesta segunda (09).


No balanço final, cerca de 40 pessoas acabaram feridas e foram levadas ao principal hospital de emergência de Brasília, dos quais seis ficaram em estado grave. O comandante da Polícia Militar estava entre os feridos. Segundo o Sindicato dos Jornalistas do DF, pelo menos seis profissionais da imprensa foram agredidos e vários perderam seus equipamentos.


No Congresso Nacional, os manifestantes invadiram o salão verde e seguiram direto ao plenário da Câmara dos Deputados. Água jorrava do salão verde e nas escadas que dão acesso à Câmara. Gabinetes foram invadidos, documentos remexidos, jogados pelo chão. Computadores foram levados e fogo foi visto na parte externa do Senado Federal. Nesta segunda não haverá expediente na Câmara. A entrada na casa ficará restrita a pessoas previamente convocadas ou autorizadas pela diretoria geral.


No Senado, tem sessão prevista para analisar o decreto de Lula de intervenção federal na segurança pública do DF. O plenário do STF também foi destruído. Cadeiras e bancadas foram quebradas. O sistema de incêndio foi danificado. A porta de um armário que ficava próximo ao plenário do Supremo com o nome do ministro Alexandre de Moraes foi mostrada como um troféu pelos manifestantes em vídeos. O STF informou que, nesta segunda, também não haverá expediente no local para o levantamento dos danos.


Os manifestantes invadiram ainda o Palácio do Planalto. A rampa que dá acesso ao prédio foi tomada. Manifestantes ocuparam todos os andares. O Palácio do Planalto mantinha em exposição presentes dados por chefes de Estado que foram saqueados. O ministro da secretaria de Comunicação do governo, Paulo Pimenta, fez imagens do gabinete dele, no quarto andar do Palácio do Planalto, mostrando como ficou totalmente depredado.


“Em cada uma dessas maletas havia armas letais e não letais que foram levadas daqui. Armas que foram roubadas pelos criminosos de dentro do Palácio do Planalto. Tentaram botar fogo”, disse Pimenta. Praticamente todos os móveis eram da época da construção de Brasília. Muitos agora estão destruídos. Além deles, computadores, televisões e outros equipamentos eletrônicos equipamentos foram quebrados. O presidente Lula voltou a Brasília no final do dia e visitou pessoalmente os prédios atacados.


Com informações da Jovem Pan.

bottom of page