Advogado do Marcelo da Silva afirma que seu cliente teria sofrido agressões: “não vou expor”



Rafael Nunes, o advogado de Marcelo da Silva, acusado de matar a menina Beatriz Angélica afirmou após encerramento da audiência de instrução nesta terça-feira (22) que existem ‘falhas’ no reconhecimento das testemunhas, sobre o acusado.


O advogado cita ainda que a foto resultante das investigações e a foto tirada do acusado quando capturado são semelhantes e que isso poderia confundir as testemunhas. Rafael ainda destacou que Marcelo iria para exame de corpo de delito após audiência por ter sido agredido e declarou, “Não perguntem de quem, não vou expor”.


Questionado no momento pela imprensa se as agressões teriam sido na unidade penal ou no trajeto para a audiência, o mesmo informou que teria sido na unidade.


O Caso


Beatriz Angélica foi morta em 10 de dezembro de 2015, quando estava na formatura da irmã, no Colégio Nossa Senhora Auxiliadora. Segundo investigações, a menina recebeu dez facadas.


Ela saiu do lado dos pais para beber água e desapareceu. Vídeos registraram o momento em que a menina saía da solenidade. O corpo de Beatriz foi achado dentro de um depósito de material esportivo da instituição, com uma faca do tipo peixeira cravada na região do abdômen. A menina também tinha ferimentos no tórax, membros superiores e inferiores.


Veja o vídeo:



Da Redação com imagens da TV Guararapes (PE).