Designer Gráfico investe em plena pandemia e vê sua empresa de brindes personalizados decolar

"Nas dificuldades que a gente encontra as oportunidades", acredita Jeomário Martins


Jeomário dos Santos Martins, 32 anos, é design gráfico, porém até 2019 trabalhava apenas com arte digital. "Minha área era banner, edição de vídeo, montagem de fotos. No ano de 2018 pra 2019 começou a despertar interesse para fazer impressões, gráfica rápida e o pessoal me procurava por cartão de visita, cartão de mensagem essa parte de papelaria", contou. Diante dessa procura, em 2019 despertou e comprou uma impressora e iniciou com serviços terceirizados. "Eu fazia cartão de visita, etiquetas, topo de bolo. Já conhecia um pouco mais do trabalho de personalizados, comércio de brindes que abrange várias esferas, como sublimação e transfer laser", destacou.


Antes da pandemia Jeomário trabalhava como mototaxista também no ponto localizado no Juá Garden Shopping. "Eu comecei a visar esse mercado mas não tinha capital, tanto que eu comecei a personalizar camiseta com 'ferro de passar'. Eu vi que era possível na questão da sublimação, temperatura, pressão e tempo", lembrou. Com a pandemia, fechamento do comércio e atividades de entretenimento, onde ele ganhava fazendo banners para os eventos, o designer decidiu comprar uma prensa de caneca, "as pessoas falavam que com a pandemia, o pessoal sem trabalho, comércio parado e difícil. Eu respondia que era nas dificuldades que a gente encontra as oportunidades", analisou.


Segundo Jeomário, o negócio de brindes e personalizados iniciou de fato em plena pandemia e com uma média de vendas de quatro canecas por mês. "No boca-a-boca começou a aparecer pedido, comecei a investir e de cliente em cliente àquelas indicações comecei a fazer pacotes promocionais", disse. Ele percebeu que na pandemia as pessoas começaram a empreender. "Comecei a receber muitos pedidos de logotipo de loja, espetinho, marmita, quem estava no analógico foi para o digital", acrescentou. A empresa JotaArtes funciona na residência do próprio designer.


Nessa época Jeomário conheceu a pessoa que viria a ser sua sócia, a assistente administrativa Deisi Ramaiane. Ela conta que conheceu Jeomário quando procurava alguém para fazer cartões de visitas. "Eu estava trabalhando com alongamento de unhas em gel e senti a necessidade de uns cartões de visita e assim conheci o trabalho dele e comecei a divulgar nas minhas redes sociais. Foi surgindo um pedido atrás do outro através dessas divulgações em minhas redes e percebi que ele ficou sobrecarregado, me ofereci para ajudá-lo. Assim eu fiquei com a parte de divulgação, agendamentos, contato direto com cliente e ele com a execução", relatou Deisi.


Depois de decolarem nas vendas utilizando as redes sociais, como meio de divulgação, os sócios conseguiram comprar mais maquinários e hoje recebem pedidos não só para a região do Vale do São Francisco, mas outras cidades como Rio de Janeiro/RJ, Salvador/BA e Maceió/AL. "Firmamos a nossa sociedade e venho conciliando meus horários com a Univasf, onde sou servidora há nove anos. Muito em breve, e com o fim dessa pandemia, estaremos em um espaço físico mais amplo e a meta é gerar emprego também", previu.


Os sócios realizam atendimentos pelo Instagram @jotaartesdesign e pelo Whatsapp. A JotaArtes tem um canal no Youtube com dicas e informações sobre os produtos e curiosidades sobre os personalidades.


Veja o vídeo com os produtos produzidos pela JotaArtes:


Iana Lima - Jornalista

Comente e Compartilhe!